LINGUAGEM DO CORPO

O que meu corpo tem me dito e eu não tenho compreendido?

   Dor de cabeça: traduz nossas dificuldades de administrar conflitos pessoais. A pessoa quer resolve as coisas pela razão e pelo pensamento, de forma teórica, sem emoções, sou seja, é uma pessoa rígida. Racionaliza demais, querendo compreender tudo e sufocando as emoções. A dor de cabeça nos fala da dificuldade de deixar espaço ao prazer e à simples alegria de viver. A cabeça está a mil por hora, não quero mais pensar e/ou estou tendo dificuldade de resolver meus conflitos sozinho(a).

  Dores na Nuca: dores e tensões nesta região nos falam de nossa dificuldade ou incapacidade de fazer acontecer no real o que pensamos, desejamos e concebemos em nossa cabeça. É o que liga o racional ao emocional. Pessoa que planeja e na hora de executar acontece alguma interferências que não lhe permite executá-la.                                                                                                                                        

  Torcicolo: refere-se a recusa do que o outro diz, é nossa impossibilidade de dizer não sobre algo, alguém ou alguma coisa. Tensões que impede a pessoa de virar a cabeça para direita ou para esquerda. É a nossa resistência de ver todos os lados da situação ou da resistência de aceitar ajuda.

  Tontura: refere-se ao sentimento de ter muitas pessoas, muitas coisa para fazer e entender que não sei por onde ir, o que fazer e me perco, perco o meu equilíbrio.

  Ombros: condensam a nossa incapacidade de ação. Tudo que toca os nossos desejos profundos da ação sobre alguma coisa ou alguém tem uma relação somática com os ombros. É neste nível que a vontade e o desejo de agir emergem para agir no real.  Geralmente a pessoa sente-se responsável pelos outros, como se tivesse carregando-os nos ombros. Eu consigo carregar os meus problemas, mas não dos outros.

  Pernas: tudo que é ligado à perna tem a ver com o espaço relacional (ir em direção aos outros): Aproximar-se do outros, ou se afastar. Dificuldades de avanço ou recuar no espaço relacional do momento.

  Coxas: dores das coxas indicam que inconscientemente esta por vir a tona problemas relacionais ligado ao passado e/ou aos desejos. São memórias reprimidas por nos e recusamos aceitar que reapareçam. Prestar atenção nos valores e crenças.

  Articulação da Coxa (Virilha): a articulação da coxa permite nossa caminhada, avanço ou recuo. Quando quero tomar decisões, avançar e me faço mil perguntas instalam-se as dores. A dor fala da rigidez na caminhada, articulados aos sentimentos de abandono ou traição. Os acontecimentos do passado me impedem de estabelecer outras relações para não ser magoado de novo. A pessoa acha-se incapaz de realizar sonhos, fica com mil interrogações. Sente-se submisso e não faz valer as decisões. Assim a pessoa fica com raiva de si mesmo.

  Joelho: é a articulação maior da relação de abertura ao outro e de aceitação do que esta relação implica. É a articulação que tem capacidade de se dobrar, articular o que liga a coxa à perna. Por isso, é considerada a articulação da humildade e da flexibilidade interior, da aceitação e da submissão. Representa a aceitação de uma emoção, ressentimento ou de uma idéia que emerge do não consciente. As dores e problemas no joelho nos falam das dificuldades que temos de aceitar uma determinada experiência relacional. Dificuldade de fazer escolhas entre o eu e o nós.       

  Os Pés: é nosso ponto de apoio e de equilíbrio sobre o solo, nos permitem ter contato com a realidade e nos permitem caminhar. É com ele que avançamos ou nos bloqueamos na caminhada. Falam-nos, portanto, do mundo, das posições com o mundo exterior.  É um símbolo de liberdade, pois nos permite o movimento. Muitas vezes, “as tensões nos pés tem relações com uma crise emocional não solucionada que envolveu a possibilidade de fuga”. As dores nos pés nos falam das tensões que sentimos em relação a nossa posição no mundo.

  Joanete: perda de apoio preciso de algo mais para me apoiar. Tem a ver com menopausa.

  Aparelho Digestivo: se penso muito no que preciso fazer, o estomago libera acido clorídrico, por isso fica com má digestão. Problemas digestivos nos falam de nossas dificuldades de engolir, digerir, assimilar tudo aquilo que ocorre em nossos relacionamentos.

  Boca: é a parte de entrada e saída que liga nosso corpo ao mundo exterior. É responsável pela ingestão de alimentos materiais e psicológicos proveniente de nossas experiências relacionais. É também pela boca que eliminamos, através do vomito, os alimentos insanos que engolimos e que precisam ser eliminados. Graças a nossa boca, podemos também nos exprimir, dizer o que pensamos e sentimos.

  Garganta inflamada: Raiva contida, o que não foi dito. Você engole sem o prazer.

  Mau hálito: Coisas apodrecidas que não jogo fora.

          Estômago: é o órgão que recebe, através do esôfago, o que veio da boca. O estomago é, por excelência o órgão mais racional de nosso corpo. É a sede que aloja memórias de magoas e ressentimentos. Tudo aquilo que não conseguimos compreender, digerir em nossas cabeças, se manifesta no estomago sob as varias formas de mal-estar. Aparece com freqüência em pessoas que não esquecem o que lhes foi dito. Os vômitos são tentativas de eliminar e refutar aquilo que nos é nefasto.

           Prisão de Ventre: refere-se à pessoa que esta enfezada, cheia de fezes. São pessoas que guardam as coisas, não esquecem o que aconteceu em suas vidas, o que de mal lhes fizeram e têm dificuldades em se desfazer das coisas da vida.           Se eu não solto as idéias, também não solto as fezes. É necessário que perdoe a si e aos outros, e jogue pra fora todas as coisas que lhe incomodam.

  Intestino Solto: acontece quando não quero guardar, não quero absorver os fatos que me incomodam, é uma fuga do que esta me acontecendo. É a raiva de ter que absorver uma situação. Acontece uma diarréia psicológica.

 

Pâncreas e Baço: simbolicamente, problemas nestes dois órgãos nos falam de uma vida pautada em normas, regras, cobranças, que muitas vezes escravizam. O excesso de seriedade para vão dizer de severidade, não deixa espaço para o prazer, o lazer e a alegria de viver. A vida tende a ser encarada como uma missão amarga, dolorosa, séria e não pode se dar o luxo do prazer, do lazer.

  Hipoglicemia (falta de açúcar no sangue): Ela traduz uma incapacidade, uma dificuldade de receber, de aceitar, de se dar o direito de ter prazer.

  Hiperglicemia (excesso de açúcar no sangue): quando a taxa de açúcar esta excessiva gera a diabete. Na linguagem simbólica, o armazenamento de açúcar no sangue seria uma forma de compensar o sofrimento decorrente de autoritarismo de um pai exigente, controlador e cobrador de regras e condutas. A diabete seria uma fuga e um refúgio. O açúcar simboliza doçura, prazer e recompensa por superações. Se a minha vida esta muito amarga tento compensar de alguma forma. Acabo vivendo de substitutos do amor.

  Fígado (raiva, medo e culpa): simbolicamente, é o órgão que esta intimamente ligado a nossa auto-imagem. Quando temos dificuldade de nos aceitar ou somos bombardeados de forma critica e mal intencionadas, tendemos a ofuscar a nossa alegria de viver por um comportamento ou atitudes amargas nos auto-boicotamos.

  Pulmão: problemas nesta parte estão ligados a dificuldade de nos proteger das agressões externas.

  Problemas Respiratórios: nos fala de nossa dificuldade nas relações vitais, ou seja, com outras pessoas. As tristezas profundas, também, levam a problemas respiratórios.

  Tosse Seca: são tosses irritantes e nos falam das agressões que nos irritam, nos mostra que estamos com o “pavio curto”, nos irritando facilmente.

  Tosse Cheia: diz respeito o que quero por para fora, o que quero falar e não consigo.

  Coração: os problemas manifestam-se em pessoas que a razão é grande e a emoção pequena, onde qualquer coisa satisfaz.  Levam-nos a refletir sobre a vida que levamos. Reflete a falta de equilíbrio entre o corpo físico e o social. Quem tem stress acumulado há muitos anos, vai ter problemas de coração.

  Hipertensão: é a pressão de viver tudo para ontem. O que tem na minha historia que faz minha pressão subir?

  Hipotensão: a pessoa sente-se vitima das situações, em um beco sem saída, impotente, fuga.

  Rins e Bexiga: equivale ao intestino grosso, esta ligado ao lado afetivo. Tenho tendência a segurar as coisas, não me desfaço de magoas. Os rins é a sede do medo e do sofrimento. Refere-se ao que estou julgando, o que não quero filtrar e não quero jogar para fora?

  Anemia: o ferro representa a capacidade para fazer as coisas, para correr atrás. A anemia refere-se a um sentimento de falta de alegria, de vontade de viver, forças e amor. Recuso-me a viver, pois me sinto vampirizado. Sinto-me sem disposição para fazer as coisas acontecerem.

  Cabelo: representa força, liberdade, vitalidade, poder. Está ligado a essência do ser. Ligado a relação com o pai (figura masculina). Refere-se ao espaço racional e físico. Como eles crescem, eu também tenho que crescer.

  Caspa: conflito interior entre eu e meu social.

  Cabelo quebradiço: pessoa dividida em tomar as rédeas da vida ou deixar o outro me levar. Resistência a mudanças.

  Perca de cabelo: Pessoa que valoriza mais o material do que o divino. Esta vivendo uma grande tensão, desespero, auto punição, quer se livrar de algo, arrancar. Assim, livro-me do que me aprisiona.

  Insônia: medo profundo de se doar, de se entregar em uma relação. Preocupo-me com coisas do passado. Fico verificando o que fiz de errado, pensando demais, fico preocupado. Vivo inseguro e quero controlar tudo, sou desconfiado. Sentimento de insegurança em si mesmo, culpabilidade.

  Problemas nos Ossos: quanto mais profunda a doença, mas difícil será. Problemas nos ossos nos fala de um conflito de desvalorização, de perturbações emocionais profundas, sofrimento nas bases, nas suas crenças. Se tenho problema na minha estrutura, tenho problemas na minha existência, no que me faz ficar de pé, me sentir bem e útil. Tem um sentimento de não valer mais nada.

  Fraturas nos ossos: revoltas, quero fazer uma ruptura com o que estou vivendo, vontade de sair de uma situação de opressão, sentimento de querer separar-se do passado e ser flexível no futuro.

 “… quando a minha boca fala o meu corpo sara.”

Fonte: Curso Decodificando a Linguagem Emocional e Simbolica do Corpo

– Dr. Adalberto Barreto


Anúncios

Sobre joaoloch

Psicólogo. Acupunturista. Quiropraxista, Terapeuta em Florais de Bach e Reiki, Mestre em Educação. Prof. Universitário. Clínica particular de Psicologia e Acupuntura End.: Rua Carlos Gomes, 697 - Vila Williams - Garça SP Fone (14) 34061605
Esse post foi publicado em Saúde e bem-estar. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para LINGUAGEM DO CORPO

  1. Mônica disse:

    João, além de interessante a matéria podemos dizer : perfeita.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s