JESUS NUM CASAMENTO

nº 884

Homilia do 2º Domingo Comum (17.01.10)

Pe. Luiz Carlos de Oliveira

Redentorista

“Servindo o vinho bom”

 

Mais que um milagre

               Celebramos, no primeiro domingo do Tempo Comum, o Batismo do Senhor. A celebração do 2º domingo tem um ensinamento que não é levando em conta: Lemos, sempre neste domingo, o evangelho de João e não o evangelista do ano corrente, neste ano Lucas. Estamos, ainda, na temática da Manifestação. Neste ano lemos o evangelho da festa de casamento em Caná. Ali se lê: “Este foi o início dos sinais de Jesus. Ele o realizou em Caná e manifestou a sua glória e seus discípulos creram nele” (Jo 2,11). Jesus se manifesta aos discípulos. Sua presença entre nós realiza a nova aliança. A história da salvação é vista como o matrimônio de Deus com seu povo. Jesus é o esposo que dá a novidade da vida. Ele dá o vinho novo, expressão do amor. Não se trata de um casamento, mas da união de Deus com seu povo e cada um que se realiza como um matrimônio onde se serve um vinho melhor. O profeta Isaias fala nesta linguagem: “Como  a noiva é a alegria do noivo, assim também tu és a alegria de teu Deus (Is. 62,5). A grande verdade sobre o amor de Deus-esposo é que Ele não abandona seu povo, mesmo quando este o abandonou. O novo relacionamento de Deus como seu povo não se faz na lei vazia, como as talhas, mas com um Espírito Novo, que dará um novo sentido à festa da união de Deus com seu povo em Jesus. Por aí vemos a verdade da encarnação: Este matrimonio se realiza na pessoa de Jesus, na união da natureza humana e a natureza divina. Por que Maria é lembrada neste momento importante do início dos sinais (milagres) de Jesus? O evangelho não conta uma historinha. A Mãe de Jesus simboliza a esposa fiel do Antigo Testamento que está presente na hora da manifestação de Jesus. Representa o povo que permaneceu fiel. Deus é fiel a sua esposa, o povo. Por isso ela dirá: “Fazei tudo o que Ele vos disser” (Jo 2,5). O povo dissera: “Faremos tudo o que o Senhor disser” (Ex 19,8). A nova aliança tem a lei nas palavras de Jesus. E estas palavras modificarão o coração dos discípulos que crêem e dão glória (11).

Bebendo do mesmo Espírito.

               O Espírito é o vinho novo que Jesus dá como no dia de Pentecostes. Todos pareciam bêbados. O Espírito existia, mas ainda não fora dado. As talhas que estavam vazias são um símbolo. A água abundante que enche as talhas lembra o Espírito que foi dado a todos que crêem: “De seu seio jorrarão rios de água viva. Ele falava do Espírito que, deviam receber os que n’Ele cressem” (Jo 7,38-39). O Espírito é doado para o bem de todos. Ele distribui seus dons como lhe apraz (1Cor 12,11). A riqueza da comunidade não é o acúmulo de bens, mesmo que sejam espirituais, mas a circulação dos dons para o bem de todos. Aliança antiga se esvaziara pela falta de fé. A nova aliança se funda no dom de Jesus.

Um novo modo de viver

               Crer em Jesus significa estabelecer com Ele uma aliança diferente baseada no amor. Deus amor ama com amor de esposo apaixonado. Isaias diz: “Como+ a noiva é a alegria do noivo, assim tu serás a alegria de teu Deus” (Is 62,5). A fé cristã não é só a aceitação de uma doutrina, mas acolher o amor como em um matrimônio. Maria, como em Caná, entra em nossa vida para que esse amor entre nós e o Filho, não se esvazie, mas seja sempre novo, como o vinho. Indica que façamos o que Ele manda. Em cada eucaristia reafirmamos nossa fé e realização a comunhão de amor.

Leituras:Is 62,1-5;Salmo 95; 1Coríntios 12,4-11;João 2,1-11.

Ficha nº 884 – Homilia do 2º Domingo Comum (17.01.10)

 

1. Celebramos no 2º domingo, a Manifestação do Senhor aos discípulos. Lemos o evangelho de João, em lugar do evangelho corrente, Lucas. O milagre da transformação da água em vinho provoca a fé dos discípulos que crêem. O casamento em Caná é um símbolo do matrimônio de Deus com seu povo que se realiza na pessoa de Jesus na união da natureza divina e humana. Maria lembra que o povo fiel está presente na hora da manifestação de Jesus. Deus é fiel a seu povo.

 

2.O Espírito é o vinho novo que Jesus dá, como no dia de Pentecostes. O Espírito existia, mas ainda não fora dado. As tralhas vazias são um símbolo. A água abundante lembra a ação do Espírito. A riqueza do Espírito é a circulação dos bens. A aliança nova se funda no dom de Jesus.

 

3. Crer em Jesus é estabelecer com Ele uma aliança baseada no amor. Deus amor ama com amor de esposo apaixonado. A fé cristã não é só a aceitação de uma doutrina, mas acolher o amor como em um matrimônio. Maria entra em nossa vida para que esse amor entre nós e o Filho não se esvazie, mas seja sempre novo. Em cada eucaristia reafirmamos a fé e a comunhão de amor.

 

               Xeretice de mãe.

 

               Uns dizem que mãe é bão, mas dura muito. Mas faz uma falta depois!!!!

               Continuando a temática do Natal, embora tenha terminado, os evangelhos do 2º domingo nos três ciclos continua a manifestação da glória de Deus: “Manifestou-se sua glória e seus discípulos creram Nele”. Jesus iniciando sua missão de anunciar o Reino, realiza este milagre da mudança da água em vinho. Uma abundância de vinho. Mais de 700 litros. Aí que a festa pegou fogo de vez. A gente pode até escutar as pessoas dizerem: “Que deliiiiiiiiicia”! Bom o vinho, melhor é que creram Nele. Delícia de Reino novo! Terão dito. Abundante de vida, da graça e da beleza de Deus.

               O vinho novo é Jesus, anunciando o Reino.

               É… mas não estava sozinho. Ali estava a primeira comunidade, os discípulos. Dizem que eles é que enxugaram o vinho. O primeiro grupo se delicia com a presença de Jesus.

               Mas havia alguém mais: A Mãe, Maria, que estava ali, presente e atenta. Talvez fossem parentes. Ela diz a Jesus: “Eles não tem mais vinho”! Jesus, não responde como alguns dizem com grosseria: “Mulher, porque dize isto a mim. A minha hora ainda não chegou”. Mulher, aqui, é nome nobre dado à senhora sua Mãe. Ela disse aos empregados que fizessem o que Ele dissesse. Quer dizer: tudo certo. A tradução exata destas palavras do aramaico diz: Mãe, a senhora sabe que a gente se entende. Por isso ela tem um lugar especial no Reino do Filho, pois eles se entendem.

 

Anúncios

Sobre joaoloch

Psicólogo. Acupunturista. Quiropraxista, Terapeuta em Florais de Bach e Reiki, Mestre em Educação. Prof. Universitário. Clínica particular de Psicologia e Acupuntura End.: Rua Carlos Gomes, 697 - Vila Williams - Garça SP Fone (14) 34061605
Esse post foi publicado em Teologia - reflexão. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s