NITROGLICERINA – Cônica do Benedito

Lula critica soberania britânica nas Malvinas e pede que a ONU debata a questão sobre a exploração de petróleo… 

 

017 – Achocolatado 

         Em alguns remédios para abaixar a pressão arterial, e tratar certas doenças circulatórias e cardíacas, usa-se, em dosagem mínima, a nitroglicerina.

         Numa das firmas que trabalhei, havia a única fábrica automática de nitroglicerina do Brasil, na época, para a feitura de algumas das dinamites – entrava ela como o componente explosivo.

         A nitroglicerina é um explosivo potente. Pura, não é transportável; é um líquido parecido com o mel, mais claro e menos viscoso – um líquido finíssimo e que, por exemplo, atravessaria a madeira com uma certa facilidade. O maior mérito do Nobel, em 1867, foi justamente o de ter usado produtos para estabilizar a nitroglicerina, tornando-a transportável – a dinamite. Ela não entra na composição de todas as dinamites – hoje há inúmeros produtos explosivos – naquele tempo, o mais importante e potente, para uso em dinamites, sem dúvida nenhuma, era a nitroglicerina. Quando explode, expande-se formando gases quentes com volume três mil vezes maior que o do líquido. É obtida da combinação, sob certas condições, do ácido nítrico e a glicerina, tendo como catalisador o ácido sulfúrico. Descoberta pelo químico italiano Ascanio Sobrero, em 1846.

         A velocidade de explosão da nitroglicerina é vinte e cinco vezes maior que a da pólvora e, em quantidades iguais, três vezes mais potente.

         Quando terminei os estudos do curso de química, estagiei nessa firma de produtos químicos e explosivos – uma multinacional. Terminado o estágio, fui admitido como químico – o cargo era chamado de supervisor.

         Trabalhar com nitroglicerina, no laboratório, inclusive fazê-la para alguns testes, não era fácil. Muitos colegas passavam mal: dor de cabeça e até mesmo vômito – um pouco pelo medo e/ou por causa da pressão arterial que abaixava. Como nunca passei mal, sempre trocava com os colegas, por outras tarefas – por exemplo: eu não gostava de trabalhar no laboratório do gás freon, por ser um ambiente muito seco e frio. 

A Mistura… o brinde 

         Um laboratório farmacêutico de São Paulo fabricava remédio para pressão arterial, e para isso, de quando em vez, comprava um litro de nitroglicerina. Para transportá-la, usava-se misturá-la a uma boa quantidade de um tipo de álcool, tornando-a menos perigosa para o transporte. Para levar de Barra Mansa a São Paulo, havia batedores da Polícia Federal.

         Para o preparo da mistura, realizada no laboratório de explosivos, necessitava-se da presença de um supervisor. Fui eu supervisionar o serviço; terminado, recebi como brinde, dos funcionários do laboratório farmacêutico, três caixas de achocolatado, fabricado em uma de suas unidades industriais – cada caixa continha doze latas de um quilo.

         A cada um dos três funcionários supervisionados por mim e que realmente trabalharam e sabiam como fazer a mistura, dei quatro latas do achocolatado. As outras duas caixas reparti entre os auxiliares químicos, no laboratório central da firma; inclusive tirei uma para mim.

         No dia seguinte fui chamado à gerência. Inquirido pelo gerente sobre o trabalho de mistura de álcool com nitroglicerina e sobre as caixas que o laboratório farmacêutico deu para mim. Expliquei-lhe que havia doado o achocolatado a quem ajudou no trabalho e a sobra foi entregue ao pessoal do laboratório químico. O gerente não gostou, pois sempre foi costume levar essas doações para a gerência. Disse-lhe, educadamente, que o pessoal da gerência não estava presente nos trabalhos…

         Alguns dias depois fui chamado à gerência novamente – ganhei um aumento no salário, percentual e quantitativamente nunca tido por mim em nenhum dos empregos anteriores.

                    Benedito Franco

Anúncios

Sobre joaoloch

Psicólogo. Acupunturista. Quiropraxista, Terapeuta em Florais de Bach e Reiki, Mestre em Educação. Prof. Universitário. Clínica particular de Psicologia e Acupuntura End.: Rua Carlos Gomes, 697 - Vila Williams - Garça SP Fone (14) 34061605
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s