JOÃO PAULO II – depoimentos de um fotógrafo

 Como hoje foi a beatificação de João Paulo II, aproveito para divulgar aqui depoimentos dados pelo fotógrafo que acompanhou por 27 anos. Dentre as muitas coisas que ele ouviu e viu o papa fazer, deu o depoimento de algumas, que transcreverei a seguir, aproveitando da publicação do Pe Geraldo Rodrigues CssR. Repetindo, é um testemunho do seu fotógrafo Arturo Mari.

. João Paulo II: “Mmmm, eu não o mereço! – Arturo Mari contou diversas histórias guardadas em sua memória. “No dia 18 de maio de 1980, seu aniversário, em uma visita pastoral à paróquia romana de Cristo Rei, um menino de 10 anos, vencendo a escolta, aproximou-se de João Paulo II e disse: “Oi, Papa, como vai?”, e depois lhe confiou: “escapei de casa porque é teu aniversário e eu queria te cumprimentar”. E o menino disse: “sou pobre mas te trouxe um presente”, e lhe deu um caramelo. João Paulo II respondeu: “Mmmm, eu não o mereço”. Muitas vezes Wojtyla dizia essa frase!

. João Paulo II: enérgico! – Quando chegou a Iquitos, no Peru, um aeroporto com pista de terra batida, explicaram-lhe que de um lado estava o Exército e, do outro, guerrilheiros do Sendero Luminoso. Ele “subiu em uma mesa junto ao alambrado e, com um megafone, voltou-se para o Sendero Luminoso, acusando-o de crimes e dizendo, ‘eu estou aqui, vamos conversar, estou disposto a conversar’”. “Dois dias depois houve encontros. Isso dá uma ideia de quem era João Paulo II”.

. João Paulo II enfrentou um ditador! – Recordou a viagem do papa ao Sudão, em 1993, após a beatificação de Josefina Bakhita. O fotógrafo recorda do papa falando em voz alta com o presidenteditador Omar Al Bashir: “Presidente, o que está fazendo como chefe de Estado, o senhor está armando as mãos dos criminosos, incitando a vingança entre ricos e pobres, entre muçulmanos”. O ditador contestou: “Distinto senhor, o senhor está mal informado”. O Papa replicou: “Não é preciso estar muito informado para saber o quanto o senhor está matando”. O ditador contestou: “Coloquemos uma pedra em cima”. João Paulo II acrescentou: “Envergonhe-se. O senhor um dia deverá prestar contas a Deus”. Hoje Al Bashir é considerado criminoso de guerra.

. João Paulo II: a foto mais emocionante! – “Foi em sua capela privada, numa Sexta-Feira Santa, quando tinha a cruz na mão; apoiou na fronte e no coração a cruz com tal força, que suas unhas ficaram vermelhas. Mistério da cruz! Seu grande sofrimento”. “Estando próximo de João Paulo II, vi muitas encíclicas. Mas a última foi a do sofrimento”.

 

Ontem, para celebrar o novo beato, as igrejas católicas de Havana, em Cuba, soaram os sinos. Em janeiro de 1998, João Paulo II realizou uma visita histórica a Cuba, que permitiu a reabertura das relações entre a Igreja Católica e o regime comunista cubano. No dia 16 de abril/11, o presidente do Partido Comunista de Cuba, Raul Castro, elogiou o diálogo mantido atualmente com a Igreja católica, marcado pelo “respeito mútuo, a lealdade e a transparência”.

Eu também tenho minha impressão sobre o papa, da primeira visita que fez ao Brasil, em 1980. Na ocasião tive a oportunidade de participar de uma celebração com ele e, depois, almoçar no mesmo recinto, tendo oportunidade de cumprimentá-lo, o que, na época foi motivo de muita satisfação para mim. Acredito que para ele também (rs). Era o início de seu pontificado e ainda não se sabia muita coisa sobre ele, mas já era admirado e considerado de grande capacidade de comunicação e persuasão, além de uma vida espiritual muito intensa.  

 

A seguir, alguns dados sobre João Paulo II e sua convivência com os missionários redentoristas:

 – Nossa Senhora, com o título de Perpétuo Socorro, está muito ligada aos Missionários Redentoristas. Grande devoto de Nossa Senhora, o novo Beato, desde sua juventude, esteve muito ligado a ela. Ele nos contou em detalhe quando visitou a igreja redentorista de Santo Afonso, em Roma, no dia 30 de junho de 1991, para celebrar os 125 anos da veneração do Quadro de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, o original, o mais antigo, que fica na Via Merulana, 31, na Igreja Santo Afonso, em Roma. Relevou-nos ainda João Paulo II: “Lembro-me que, durante a última guerra, quando os nazistas ocupavam a Polônia, eu trabalhava numa fábrica em Cracóvia. À tardinha, ao voltar para casa, eu costumava entrar na igreja dos Redentoristas, onde estava o quadro de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro. Quantas vezes me ajoelhei diante dele, não apenas porque estava no meu caminho, mas também porque eu o achava muito lindo! Tornei a visitar aquela  igreja quando era Bispo e Cardeal de Cracóvia. Lá preguei muitas vezes e administrei os sacramentos, especialmente a Confirmação. Por isso, vir aqui hoje é como voltar ao passado, ao meu tempo de jovem!” (Naquele histórico dia 30 de junho/91, o Redator de ‘Vivências’ trabalhava no setor de comunicações em Roma e participou da acolhida de João Paulo II. Acompanhara o Papa como fotógrafo e jornalista em sua primeira viagem ao Brasil em 1980.

. Nosso Beato com os Redentoristas nas Filipinas –  Quando era Cardeal de Cracóvia, na Polônia, nosso João Paulo II participou do Congresso Eucarístico de Melbourne, na Austrália. Seu avião fez uma escala em Manila, nas Filipinas, e o Cardeal estava ansioso por celebrar a Missa, mas não havia capela no aeroporto. Além disso, Polônia e Filipinas não mantinham relações diplomáticas. Mas as autoridades permitiram que, mesmo ilegalmente, ele saísse e o Cardeal Santos, de Manila, sugeriu que ele fosse à igreja de Baclaran que ficava bem perto. Era uma quarta-feira, dia da Novena Perpétua em honra de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, a Novena dos Redentoristas. Em outra ocasião, como Papa, ele chegou a Manila para uma visita apostólica e celebrou Missa outra vez na igreja Redentorista de Baclaran, durante a qual pronunciou estas memoráveis palavras: “Estou aqui pela segunda vez em minha vida. A primeira foi numa escala em minha viagem ao Congresso Eucarístico na Austrália, quando celebrei a Missa naquela noite, e pude testemunhar a devoção, verdadeiramente filial, alegre e confiante, ó Mãe do Perpétuo Socorro, que os fiéis têm para convosco, nesta grande cidade, a capital das Filipinas.

. Uma outra vez com os Redentoristas em Roma – Foi no dia 13 de novembro de 1988. A igreja sede dos Redentoristas em Roma pertence à Paróquia São Vito. Era um dia de domingo. Visitando a paróquia, o papa foi recebido pelas crianças da catequese na Sala Magna da Academia Alfonsiana de Teologia Moral, dos Redentoristas. P. Maurício Brandolize, missionário redentorista natural de Tietê (SP) e hoje trabalhando em Goiás, estava em Roma e recorda: “O carro do Papa entrou no páteo de nosso convento e nós ficamos ao redor de um cercado e pudemos cumprimentá-lo pessoalmente”.

 

Anúncios

Sobre joaoloch

Psicólogo. Acupunturista. Quiropraxista, Terapeuta em Florais de Bach e Reiki, Mestre em Educação. Prof. Universitário. Clínica particular de Psicologia e Acupuntura End.: Rua Carlos Gomes, 697 - Vila Williams - Garça SP Fone (14) 34061605
Esse post foi publicado em Teologia. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s