EDUCAR COM CARINHO E SABEDORIA

Lei da Palmada:

 – No dia 14 de dezembro 2011, a Comissão Especial da Câmara Federal aprovara o Projeto de Lei (7672/10) que pune os pais que batem nos filhos e proíbe os castigos físicos contra crianças e adolescentes. O projeto, conhecido como “Lei da Palmada”, determina que as suspeitas de maus-tratos sejam comunicadas ao Conselho Tutelar de cada cidade. O texto determina aos pais infratores penas socioeducativas e até o afastamento dos filhos.
O projeto especifica que crianças e adolescentes devem ser protegidos do castigo físico “em que há o uso da força e resulta em sofrimento e lesão”. No entendimento dos integrantes da comissão, o texto, na prática, proíbe a palmada. Mas a interpretação sobre que tipo de palmada resulta em sofrimento
ficará a cargo da Justiça. O projeto segue para o Senado.
Para o gestor de relações institucionais da Pastoral da Criança, Clóvis Boufleur, “há milhões de exemplos de vida de famílias que mostram ser possível dar um basta à violência”. “É preciso insistir em formas de educação e diálogo com as crianças e adolescentes sem o uso de castigos corporais ou de
tratamento cruel”, diz ele. “Os pais devem entender que a violência, em todas as suas formas, é inaceitável”. Ele recorda que o Brasil é reconhecido como um dos países com legislação mais avançada na área da infância e adolescência. “A distância entre o que é descrito na lei e a realidade de milhões de crianças e adolescentes nos traz hoje para este debate e nos desafia a sermos mais incisivos na educação e no cuidado, sem uso de castigos corporais ou de tratamento cruel ou degradante. A prática da lei vem acompanhada de convencimento, insistência e paciência”, afirma Clóvis. Como defendia a Dra. Zilda Arns, fundadora da Pastoral da Criança, “quem bate para ensinar, ensina a bater”.

Considero que toda tentativa de melhor educar as crianças, formando melhores cidadãos, é muito importante. Mas também não acho que simplesmente editando uma nova lei vá melhorar muito este aspecto. Os pais não devem maltratar seus filhos e para isto também precisam ser orientados. Além dos pais, é necessário ter sempre presente o papel do Estado que regula o comportamento da sociedade.

Muitos crianças são maltratadas não pela família, mas pela escola, que não oferece uma educação eficiente e suficiente, pelos meios de comunicação que prestam um desserviço com mensagens que tratam as pessoas simplesmente como  objetos de consumo e passando a ideia de que os pais só amam se compram muitas coisas e fazem todas as vontades das crianças.

As crianças são maltratadas quando os pais, mesmo trabalhando como escravos o dia todo não conseguem o mínimo para dar uma condição de vida digna para seus filhos. São maltratadas quando são deixadas nas ruas ou sozinhas dentro de casa enquanto os pais precisam sair para trabalhar ou quando são usadas para aprender a pedir esmolas nas ruas ou são deixadas praticando pequenos furtos para caminhar para os grandes.

São maltratadas quando se passa para os pais o medo de corrigir seus filhos e perdê-los para uma instituição que só serve para brutalizá-los ou são usados para o tráfico e exploração de adultos que não têm nenhum compromisso com elas.

São maltratadas quando doentes são mal atendidas e tratadas com descaso.

São maltratadas quando se passa par elas valores e sonhos a serem conquistados com dedicação e confiança na própria capacidade.

São maltratadas quando se ensina para elas certas letras de música que contaminam até o pior lixo.

E o que se está fazendo para efetivamente cuidar desses absurdos? Faz-se uma lei para condenar os pais e mal orientados perderem até a autoridade de poderem orientar seus filhos.

Anúncios

Sobre joaoloch

Psicólogo. Acupunturista. Quiropraxista, Terapeuta em Florais de Bach e Reiki, Mestre em Educação. Prof. Universitário. Clínica particular de Psicologia e Acupuntura End.: Rua Carlos Gomes, 697 - Vila Williams - Garça SP Fone (14) 34061605
Esse post foi publicado em FORMAÇÃO HUMANA. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s