PERSEGUIDOS POR CAUSA DA FÉ

Irã: condenado por se converter ao cristianismo

– No dia 3 de março/12, foi divulgada a notícia de que Masoud Delijani, um ex-muçulmano recém-convertido ao cristianismo, foi condenado a três anos de prisão pelo Tribunal Revolucionário de Kermanshah ( 500 quilômetros de Teerã, Irã).
Segundo os depoimentos, foi negada a Delijani a possibilidade de escolher o seu próprio advogado. O cristão, professor de Liceu em Kermanshah, está detido na cadeia de Deizal-Abad, descrita como
“deplorável”. Até o momento, só pôde receber breves visitas da sua mulher, de duas em duas semanas, ficando ambos separados por um vidro e falando através de um intercomunicador.
O tribunal acusou-o de “ser cristão, frequentar lugares de culto considerados ilegais, evangelizar muçulmanos, insultar figuras sagradas do Islã e de ter atividades contra a segurança nacional”.
A perseguição contra os cristãos iranianos aumentou desde o Natal de 2010, quando as autoridades prenderam numerosos ex-muçulmanos convertidos ao cristianismo em diversas cidades do país.

Paquistão: sequestrados dois cristãos

– No dia 29 de fevereiro/12, um comando de homens armados sequestrou dois cristãos paquistaneses, Symond Andre e Javed Masih, funcionários administrativos do hospital Bom Samaritano, na Província de Sindh. O hospital, que se encontra na periferia de Orange, bairro muito pobre, é administrado por uma Ong coreana.
O grupo armado parou um automóvel do hospital, em busca de “trabalhadores coreanos” mas, não encontrando pessoas estrangeiras, levou os dois cristãos. O episódio chocou a comunidade cristã da cidade. O responsável pela Comissão Justiça e Paz da Arquidiocese de Karachi, P. Saleh Diego,
explicou: “Estamos indignados. Deploramos este gesto que atinge pessoas que dão a vida para curar os enfermos e os pobres, para aliviar o sofrimento dos cidadãos paquistaneses, sem alguma discriminação.
É um gesto contra a vida, contra a dignidade humana, contra a legalidade”.

Sequestros são freqüentes no Paquistão

– Tais sequestros visam pessoas ocidentais ou estrangeiras, que trabalham em Ongs e em obras humanitárias. É uma mentalidade terrível. Segundo os grupos extremistas, os agentes sociais difundem uma cultura anti-islâmica, mas isso é falso. Os cristãos paquistaneses são alvos dos fundamentalistas porque são associados ao Ocidente, somente porque pedem direitos e dignidade para todos”. As vítimas de seqüestros muitas vezes são vendidas a grupos talebãs ou ligados a Al Qaeda. A libertação, nesses casos, se torna muito mais difícil. No último mês de
janeiro, em Multan (no Punjab), foram sequestrados dois agentes humanitários ocidentais, o italiano Giovanni Lo Porto e o alemão Bernd Johannes, da Ong alemã “Welthungerhilfe”. Os dois ainda estão nas mãos dos talebãs. Entre os outros recentes sequestrados se encontram um agente humanitário queniano em Sindh e um inglês da Cruz Vermelha em Quetta.

 

China: aumenta pressão contra sacerdotes católicos

– No dia 30 de janeiro/12, na China, vários sacerdotes foram detidos e as autoridades multiplicaram ações que visam obrigar os membros do clero “clandestino”, que se mantém ligados ao Vaticano, a aderirem à Associação Patriótica Católica, Igreja
“oficial” controlada por Pequim. No dia 14 de fevereiro/12, funcionários do departamento chinês dos Assuntos Religiosos, fazendo-se acompanhar por agentes da polícia, entraram no local onde funciona o seminário “clandestino” da Diocese de Suiyuan, no norte do país, expulsando todos os estudantes. Dias mais tarde, a polícia conseguiu localizar o Administrador diocesano desta Igreja fiel ao Vaticano, P. Gao Jiangping, levando-o preso para um local até o momento desconhecido.
Na China existem entre oito e 12 milhões de católicos, segundo o Vaticano, divididos entre os que pertencem à Igreja “oficial” e à “clandestina”, fiel a Roma. As relações diplomáticas entre a China e a Santa Sé estão interrompidas desde 1951, após a expulsão de todos os missionários estrangeiros, muitos dos quais se refugiaram em Hong Kong, Macau e Taiwan. Em 1952, o Papa Pio XII recusou a criação de uma Igreja chinesa, separada da Santa Sé e, em seguida, reconheceu formalmente a independência de
Taiwan, para onde o núncio apostólico (embaixador da Santa Sé) foi, depois da expulsão da China.

Anúncios

Sobre joaoloch

Psicólogo. Acupunturista. Quiropraxista, Terapeuta em Florais de Bach e Reiki, Mestre em Educação. Prof. Universitário. Clínica particular de Psicologia e Acupuntura End.: Rua Carlos Gomes, 697 - Vila Williams - Garça SP Fone (14) 34061605
Esse post foi publicado em FÉ E VIDA. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s