Pai Eterno

Acentuar o Pai Eterno

Pe. Zezinho, SCJ

Um jovem padre redentorista de Goiás tem encantado multidões  com sua ênfase no Pai. Lembra o pedido de Filipe: “Ficaremos satisfeitos se nos mostrares o Pai de
quem tanto falas”! (cf. Jo 14,8)

Os cristãos vivem de acentuar. Faz parte da vida e da pedagogia da fé. Ora esta, ora aquela ênfase, sem esquecer a transversal da fé, a linha mestra que é a fé no Deus Uno e Trino. Mas faz parte da fé cristã, enquanto proclama que Deus é três
pessoas indivisíveis e inseparáveis; enquanto proclama sua unicidade na unidade, acentuar ora o Pai, ora o Filho, e ora o Espírito Santo.
Percorramos os rituais e manuais de preces de todas as igrejas cristãs e veremos ali os acentos e as ênfases. De tempo em tempo ressalta-se uma das pessoas. No caso dos católicos, ao ressaltar o Filho encarnado e redentor, há também o acento nos
que ele remiu e santificou. Acentuamos também os santificados, entre eles, principalmente Maria.

Os ortodoxos têm acentos semelhantes aos nossos. Odoghitria Pan Haghia festeja Maria, a mãe santificada que mostra o caminho para o Cristo. Os evangélicos acentuam a Palavra que liberta e salva. Mas entre eles há, também, os pentecostais
que, proclamando-se cristãos evangélicos, põem o acento no Espírito Santo.
Embora nós, católicos, nos proclamemos Igreja Cristã e não pentecostal, (ver o CIC: Catecismo da Igreja Católica) porque pentecostes não é nosso acento número um, temos grupos que se demoram mais tempo acentuando o Espírito Santo do que o Cristo. Afinal, falam do mesmo e único Deus! Não negam a Trindade, mas
cultivam o que chamam de Cultura de Pentecostes. De Goiás, um jovem padre redentorista Robson de Oliveira CSSR, tem acentuado, pela mídia, o amor ao Pai Eterno. Encanta e agrada a milhões de católicos que correm para vê-lo aonde ele leva a imagem da Trindade, com Maria a primeira santificada por perto, para
lembrar as manifestações de Deus em nós. Na sua pregação, ele lembra a Trindade, mas acentua a paternidade eterna.
Esta mística, para um mundo órfão de pais, tem grande força. Para um mundo que teima em não aprender a fraternidade, a mística do Filho, o Cristo, irmão e redentor
também toca milhões de crentes. Isto mostra que as pessoas buscam em Deus o que lhes falta no seu cotidiano. O crescer no acento no Pai, depois de forte acento no Filho e no Espírito, talvez nos leve de volta à síntese. Somos crentes na Trindade que é um só Deus. Deus não depende desses nossos acentos, mas nós, tudo indica que precisamos deles. Os historiadores da religião no Brasil podem falar com maior
profundidade. Mas, que há novos acentos e novas pedagogias, há. Se chegaremos ao essencial, penso que dependerá de cada fiel que leu a sério o catecismo de sua Igreja. É que o catecismo aponta para a Trindade, embora aceite as devoções e as ênfases. Meditemos no porquê das ênfases!

Anúncios

Sobre joaoloch

Psicólogo. Acupunturista. Quiropraxista, Terapeuta em Florais de Bach e Reiki, Mestre em Educação. Prof. Universitário. Clínica particular de Psicologia e Acupuntura End.: Rua Carlos Gomes, 697 - Vila Williams - Garça SP Fone (14) 34061605
Esse post foi publicado em Espiritualidade. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s