Davi, Salomão e seus reinados: existências confirmadas arqueologicamente

Ciência confirma a Igreja


Davi, Salomão e seus reinados: existências confirmadas arqueologicamente

Posted: 23 Mar 2015 01:30 AM PDT

Davi, marfim alemão do século XII. Cloisters Museum, NYC
Davi, marfim alemão do século XII. Cloisters Museum, NYC.

Com frequência ouve-se dizer que a Bíblia e os Evangelhos, seus acontecimentos e personagens são fruto da fantasia. Ou simples construções alegóricas ou mitológicas em que os antigos teriam condensado suas experiências.

Chega-se a dizer até que Nosso Senhor Jesus Cristo como é apresentado nos Evangelhos não existiu. Teria sido no máximo um homem cuja figura teria sido elaborada por comunidades populares de base oprimidas pelo imperialismo romano.

Segundo essa visualização, os livros sagrados não são obviamente sagrados, mas meras coletâneas de fábulas.

No entanto, tudo isso não passa de alegação antirreligiosa. Além do valor intrínseco do Antigo e do Novo Testamento, são inúmeros os dados históricos e científicos que falam em favor da fidelidade dos Livros Sagrados à História.

Em nosso blog estamos continuamente publicando as mais recentes descobertas que chegam até nós por meio de fontes científicas respeitáveis.

Mais recentemente, uma equipe de arqueólogos da Mississippi State University (MSU) trouxeram à luz um conjunto de seis selos de terracota encontrados numa pequena localidade de Israel, os quais provam a existência histórica dos reis Davi e Salomão.

Os achados desfazem as alegações – essas sim, quiméricas e sem fundamento – de que os dois reis não seriam senão figuras alegóricas, e que o reino deles não existiu, pelo menos no tempo e na região mencionados na Bíblia.

Sobre os dos reis profetas, lemos no Antigo Testamento:

I Samuel 16

13. Samuel tomou o corno de óleo e ungiu-o no meio dos seus irmãos. E, a partir daquele momento, o Espírito do Senhor apoderou-se de Davi. (…)

14. O Espírito do Senhor retirou-se de Saul, e um espírito mau veio sobre ele, enviado pelo Senhor. (…)

Davi aplaca Saul, Rembrandt Harmenszoon van Rijn (1606 — 1669). Städelsches Kunstinstitut und Städtische Galerie, Frankfurt am Main.
Davi aplaca Saul, Rembrandt Harmenszoon van Rijn (1606 — 1669).
Städelsches Kunstinstitut und Städtische Galerie, Frankfurt am Main.

23. E sempre que o espírito mau de Deus acometia o rei, Davi tomava a harpa e tocava. Saul acalmava-se, sentia-se aliviado e o espírito mau o deixava.

I Samuel 18

12. Saul temia Davi, porque o Senhor estava com o jovem, e tinha-se retirado dele. (…)

29. O rei sentiu com isso redobrar o seu medo. Durante todo o resto de sua vida ele detestou Davi.

I Reis 2

1. Aproximando-se o fim de Davi, deu ele ao seu filho Salomão as suas (últimas) instruções:

2. Eu me vou, disse ele, pelo caminho que segue toda a terra. Sê corajoso: porta-te como homem.

3. Guarda os preceitos do Senhor, teu Deus; anda em seus caminhos, observa suas leis, seus mandamentos, seus preceitos e seus ensinamentos, tais como estão escritos na lei de Moisés. Desse modo serás bem-sucedido em tudo o que fizeres e em tudo o que empreenderes,

4. e o Senhor cumprirá a promessa que me fez, isto é, que eu terei sempre um de meus descendentes no trono de Israel, se meus filhos guardarem seus caminhos e andarem diante dele com fidelidade, de todo o seu coração e de toda a sua alma. (…)

10. Davi adormeceu com seus pais e foi sepultado na cidade de Davi.

11. Reinou quarenta anos sobre Israel: sete anos em Hebron e trinta e três em Jerusalém.

12. Salomão sentou-se no trono de Davi, seu pai, e seu reino foi solidamente estabelecido.

Anúncio do achado. MSU Department.
Anúncio do achado. MSU Department.

Jimmy Hardin, professor auxiliar do Departamento de Antropologia e Culturas do Oriente Médio da MSU, confirmou que essas bulas, ou selos, de terracota eram usadas para lacrar a correspondência oficial, da mesma maneira como em séculos posteriores se usaram selos de cera.

Codiretor do Projeto Regional Hesi, a partir de 2011 o professor Hardin escavou durante o verão o sítio arqueológico de Khirbet Summeily, no leste de Gaza, sul de Israel.

Os achados de Hardin foram publicados em dezembro de 2014 na Near Eastern Archaeology, uma publicação líder na matéria, onde cada artigo é objeto de sistemática crítica prévia, feita por entendidos na mesma matéria (peer review) e que deram a luz verde para a publicação.

“Os resultados preliminares … sugerem que o reino já estava formado no século X a.C. Eles dão um apoio geral à veracidade histórica dos personagens Davi e Salomão como estão descritos nos textos bíblicos”, acrescentou Hardin.

“O fato é que esses selos mostram que essa região, periférica do reino, estava integrada num nível bem acima da mera subsistência. E que havia em andamento atividades políticas ou administrativas muito além de meras atividades rurais”.

O sítio arqueológico fica entre os reinos bíblicos de Judá e Filisteia.

Os selos foram testados pelo Center for Rock Magnetism da University of Minnesota da National Science Foundation. Os símbolos gravados foram examinados e datados por Christopher Rollston, epigrafista doDepartamento de Línguas e Civilizações Clássicas e do Oriente Próximo da Universidade George Washington.

Jeff Blakely, da University of Wisconsin-Madison e co-diretor do Projeto Regional Hesi, estudou a região durante 40 anos e explicou como a origem dos selos que provam a existência dos dois reis profetas foi definida.

Aspecto dos trabalhos do Projeto Regional Hesi no sítio arqueológico de Khirbet Summeily, Israel.
Aspecto dos trabalhos do Projeto Regional Hesi no sítio arqueológico de Khirbet Summeily, Israel.

A saber: Davi (1040 a.C. – 970 a.C.), autor dos Salmos, e Salomão (1009 – 922 a.C.), seu filho, terceiro rei de Israel, que governou por volta de quarenta anos e ordenou a construção do Templo de Jerusalém.

Os dois profetizaram a futura vinda do Salvador e são antepassados genealógicos de Nosso Senhor Jesus Cristo. Por isso, o povo O aclamava dizendo: “Hosana ao filho de Davi!”

“E toda aquela multidão, que o precedia e que o seguia, clamava: Hosana ao filho de Davi! Bendito seja aquele que vem em nome do Senhor! Hosana no mais alto dos céus!” (São Mateus 21, 9)

“(…) com grande indignação dos príncipes dos sacerdotes e dos escribas que assistiam a seus milagres e ouviam os meninos gritar no templo: Hosana ao filho de Davi!” (São Mateus 21, 15)

O Prof. Blakely explicou que “o estilo dos selos, ou bulas, o tipo de vasos encontrados no mesmo local, os tipos de escaravelhos egípcios, o estilo dos amuletos egípcios e a estratigrafia do lugar, todos sugerem como data o século X a.C.

“Acresce que a datação arqueo-geomagnetica, fundada na intensidade e na direção dos campos magnéticos no passado, também sugere que as camadas em que foram achadas as bulas devem ser do século X a.C. Ulteriores análises poderão modificar a datação em apenas algumas décadas, mas não séculos”, completou.

“Nós fomos lentamente nos dando conta de que os homens não cultivavam a região, mas pastoreavam sob a proteção de seu governo. O achado dos selos apoia fortemente a ideia de que Khirbet Summeily foi uma instalação real” nos tempos dos reis Davi e Salomão.

Anúncios

Sobre joaoloch

Psicólogo. Acupunturista. Quiropraxista, Terapeuta em Florais de Bach e Reiki, Mestre em Educação. Prof. Universitário. Clínica particular de Psicologia e Acupuntura End.: Rua Carlos Gomes, 697 - Vila Williams - Garça SP Fone (14) 34061605
Esse post foi publicado em FÉ E VIDA, Igreja e marcado , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s