Tentações de Jesus

(Simbolicamente, as tentações de Jesus nos remetem também às nossas tentações, às crises que passamos diante de uma missão, de um propósito….Como nós, na sua humanidade, Ele também passou por incertezas, medos, vontade de abandonar sua missão – tentações. Os convites a um desvirtuamento das coisas, dos fatos, para proveito próprio (tentações muito fortes e nas quais podemos cair facilmente).
Deserto: local de solidão, de purificação, de provações, de amadurecimento das decisões, de angustias, de crise, questionamentos…. E dali, Jesus saiu mais forte para fazer o que precisava fazer. Quem nunca passou por isso?

– Jesus foi levado ao deserto pelo Espírito para ser tentado pelo demônio. Quando já tinha jejuado quarenta dias e quarenta noites, sentiu fome. E o tentador aproximou-se e disse: – Se és o Filho de Deus, ordena que estas pedras se transformem em pães. Mas Jesus respondeu: – Está escrito: “Não só de pão vive o homem, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus”. Então o demônio conduziu-o à Cidade Santa e, colocando-o no ponto mais alto do templo, disse-lhe: – Se és o Filho de Deus, joga-te daqui de cima, porque está escrito: “Ele deu ordens a seus anjos a teu respeito, e eles te levarão nas mãos, para que não firas o pé nalguma pedra”. Jesus lhe disse: – Está escrito também: “Não tentarás o Senhor, teu Deus”. Em seguida, o demônio conduziu-o a um monte muito alto e, mostrando-lhe todos os reinos do mundo com sua glória, disse-lhe: – Tudo isso te darei, se, prostrado, me adorares. Então Jesus lhe disse: – Afasta-te, Satanás! Porque está escrito: “Tu adorarás o Senhor teu Deus e só a ele servirás”. Então o demônio o deixou. Os anjos se aproximaram e o serviram. (Mt 4, 1-11)

Anúncios

Sobre joaoloch

Psicólogo. Acupunturista. Quiropraxista, Terapeuta em Florais de Bach e Reiki, Mestre em Educação. Prof. Universitário. Clínica particular de Psicologia e Acupuntura End.: Rua Carlos Gomes, 697 - Vila Williams - Garça SP Fone (14) 34061605
Esse post foi publicado em Espiritualidade, FÉ E VIDA, Psicologia, RELIGIÃO, Teologia, Uncategorized e marcado , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s