Nossa sombra: o outro que somos nós mesmos

NOSSO SELF DUALlSTA e o outro lado de nós mesmos

– se quisermos ser mais inteiros, completos, precisamos ir iluminando esse lado que fomos renegando e foi formando o nosso lado escuro, escondido, pois é lá que mora nosso verdadeiro tesouro, no sentido de nos sentimos mais plenos, menos ranzinzas, chatos e apontadores do dedo para os outros em vez de vivermos mais felizes e iluminados, como seres para o qual fomos criados.
Apresento um texto, abaixo, que ficou meio extenso, mas vale a pena ler tudo, pois pode trazer alguma ajuda para você ficar mais em paz consigo mesmo. Comece a perder medo de sua sombra e a se relacionar com ela de forma mais amiga….

“A sombra fica à espreita, ela engana, se esconde e nos ilude para que acreditemos no que podemos ou não fazer. Levando-nos a fumar, jogar, beber e comer, o que nos faz sentir mal no dia seguinte. Nossa sombra dá origem aos comportamentos hipócritas que nos levam a violar as fronteiras pessoais e nossa integridade. É uma força que só pode ser calculada ao ser levada à luz de nosso estado cônscio e ao exame do que somos feitos. Possuímos todas as características e emoções humanas, sendo ativas ou adormecidas, conscientes ou inconscientes. Não há nada que possamos conceber que não sejamos. Somos tudo – o que consideramos bom e ruim. Como poderíamos conhecer a coragem se nunca tivéssemos sentido medo? Como conheceríamos a felicidade se nunca tivéssemos experimentado a tristeza? Como poderíamos conhecer a luz se nunca tivéssemos conhecido a escuridão?

Todos esses pares de opostos existem em nosso interior porque somos seres dualistas, feitos de forças opostas. Isso significa que cada qualidade que enxergamos nos outros existe em nós. Somos o microcosmo do macrocosmo – em nossa estrutura de DNA temos a impressão de todas as características. Somos capazes dos maiores atos de abnegação e dos crimes mais auto-punitivos e destrutivos. Quando vista sob a luz da consciência, a sombra expõe a dualidade e a verdade tanto do self humano quanto do self divino, conforme ambos provam ser ingredientes essenciais de um ser humano autenticamente pleno.

Temos de revelar, possuir e abraçar tudo aquilo que somos para o bom e o ruim, a luz e a escuridão, a abnegação e o egoísmo, e as partes honestas e desonestas de nossa personalidade. Ser pleno, possuir tudo, é nosso direito de nascença. Porém, para isso, é preciso estar disposto a lançar um olhar honesto sobre si mesmo e ir além da própria mente julgadora. É aí que surge urna mudança transformadora em nossa percepção, uma entrega do coração.
A boa notícia é que todos os aspectos próprios chegam como dádivas. Cada emoção e cada traço que possuímos ajudam a indicar o caminho de volta à singularidade. O lado sombrio existe para apontar onde ainda somos incompletos, para nos ensinar o amor, a compaixão e o perdão – não apenas aos outros, mas também para nós mesmos. E, quando a sombra é abraçada, ela irá curar nosso coração e nos abrir a novas oportunidades, novos comportamentos e um novo futuro. Quando trazemos à luz da consciência a nossa sombra, as emoções ocultas e as crenças que exaurem nossa vida, transformamos a forma como enxergamos a nós mesmos, o mundo e os outros. Então, estamos livres.

Lidar com a nossa sombra é algo complexo, porém, é uma jornada garantida de volta ao amor. Não apenas o amor pelos outros, mas o amor por cada característica que vive dentro de você e dentro de mim – um amor que nos permite abraçar a riqueza de nossa humanidade e a plenitude de nossa divindade. Tendo enfrentado nossos demônios internos, somos preenchidos pela paz e pela compaixão na presença do lado sombrio de outras pessoas. Conseguimos perdoar e abrir mão de julgamentos degradantes e de coração ressentido. Podemos nos inspirar na humildade de Gandhi e na tolerância de Martin Luther King Jr., levando adiante a força e a coragem para lidar com as questões que nos assombram. ‘Lá vou eu pela graça de Deus’ – essa frase assume um significado totalmente novo quando podemos ver o mal através da lente universal de nossa humanidade. Examinar o lado sombrio é a saída para entender porque fazemos o que fazemos, porque às vezes agimos de modo a contrariar os desejos da mente consciente e por que passamos horas incontáveis, dias, meses e anos julgando os outros e guardando rancores que só nos causam dor de cabeça e inquietação.

Todos temos momentos do passado em que a dor emocional foi demais para suportar, então, nós a exprimimos na escuridão da sombra. Essa é uma parte inevitável da vida. Podemos correr, mas não temos como nos esconder. A sombra está sempre ligada a algum acontecimento traumático, ou a uma combinação de momentos dolorosos. Quando verdadeiramente compreendemos nossa sombra e suas dádivas, não há dedos para apontar ou culpar nossos pais, professores e o passado, porque a sombra é um sistema de libertação para um futuro extraordinário. Compreender como ela se formou destranca a porta para um poder pessoal enorme e uma profunda sabedoria”. (Debbie FORD, Fazendo as pazes com a sombra. in O EFEITO SOMBRA, São Paulo: Lua de Papel, 2010, p. 126-129).

Anúncios

Sobre joaoloch

Psicólogo. Acupunturista. Quiropraxista, Terapeuta em Florais de Bach e Reiki, Mestre em Educação. Prof. Universitário. Clínica particular de Psicologia e Acupuntura End.: Rua Carlos Gomes, 697 - Vila Williams - Garça SP Fone (14) 34061605
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s